TUDO NOVO DE NOVO

Projeto de interiores do escritório In Arquitetura moderniza e confere nova funcionalidade a ambientes de residência com mais de uma década 

Por Nara Chiquetti
Fotos Fábio Pitrez

Tudo evolui, inclusive o estilo de morar. Uma residência construída há mais de 15 anos já carrega traços que os novos costumes modificaram. As moradias atuais evitam delimitar com paredes maciças cada cômodo, pelo contrário, principalmente as áreas sociais têm cada vez menos barreiras, cada ambiente acaba sendo demarcado apenas visualmente, por linhas sutis. Além dos traços, os materiais usados no revestimento também são constantemente inovados.

Em busca de uma casa mais atual e que atenda os novos costumes da família, é que os profissionais do escritório In Arquitetura planejaram a reforma da casa onde vivem um casal e suas duas filhas. Camila Forbeck, Henrique Rainato e Paula Viotto dedicaram-se à modernização, do piso ao teto. O resultado foram ambientes amplos, funcionais e com a personalidade dos moradores.

“O conceito de projeto mudou, hoje a gente fica mais tempo juntos quando estamos em casa, gostamos de reunir os amigos, preparar junto a refeição”, comenta Camila. Sob esse ponto de vista, a churrasqueira pequena precisou de mais espaço. Da mesma forma, copa, sala de jantar e varanda perderam suas paredes divisórias, formando um ambiente único e amplo. “A gente uniu esses ambientes para que funcionasse melhor no dia a dia da família, já casando com a modernização dos revestimentos”, aponta a arquiteta.

No chão, saíram as cerâmicas menores e entraram as peças maiores de porcelanato polido. A churrasqueira recebeu revestimento com pastilhas pretas – discretas e que facilitam a limpeza. Os arquitetos cuidaram também da ornamentação de cada parede.  “Fizemos questão de planejar todas as paredes, com revestimento – basicamente pedra e madeira, que são atemporais – ou com quadros, que escolhemos todas as gravuras e molduras”, aponta. Nessa composição de um novo espaço, algumas restrições em relação a estrutura tiveram de ser respeitadas, como as colunas que não podem ser retiradas. “Tudo vai se desenhando em cima das condicionantes estruturais. A gente aproveitou os pilares que não podiam ser eliminados e fizemos a adega, que já serve inclusive como anteparo para a porta do lavabo, para que não abra diretamente para a sala”, revela Camila.

Um balcão que permitisse ao proprietário cozinhar, servir e interagir com os convidados foi um pedido especial, assim como a adega. E, mesmo com o balcão, o casal optou por manter as duas mesas de jantar. Inclusive a piscina recebeu novos revestimentos, piso e pérgola de madeira.

O vão aberto, que antes era uma varanda, foi todo revestido por vidros, que protegem sem isolar completamente o ambiente, pois possibilitam iluminação natural, e emolduram o espaço externo da área da piscina. “Usar o vidro para separar o espaço externo da casa faz que a integração do verde venha para dentro. O verde é importante, porque quebra a frieza dos outros materiais, traz vida”, afirma Paula Viotto.

Os arquitetos lembram que, apesar de não se usar mais tantas paredes nas casas, delimitar de alguma forma os ambientes é importante para valorizar cada cantinho. “Quando o ambiente é todo aberto, se a gente não demarcar pontos verticais, tanto vindos de cima para baixo, como de baixo para cima, acaba-se criando um salão vazio”, defende Camila Forbeck. Nesse projeto, as demarcações de cima para baixo são feitas pelos pendentes de iluminação e cortes no teto. Já as de baixo para cima ficam a cargo dos vasos com plantas. “Na sala, a laje inclinada é original do projeto, a gente desceu os pendentes em forma de trilho para valorizar a iluminação, assim como o lustre. Essas demarcações verticais dão harmonia ao projeto de interiores, quando está tudo aberto”, acrescenta.

A arquiteta Paula Viotto lembra que as pessoas têm seu estilo de vida, e por mais que haja mudanças, algumas coisas precisam ser mantidas, como um espaço muito pessoal da família. “A proprietária sempre teve o costume de servir um café e bolo, já havia uma sala para isso. A gente fez um cantinho para que ela mantivesse esse costume”.

Na sala de tv, o móvel permanece o mesmo, mas recebeu uma nova roupagem. A cor, originalmente madeira, foi substituída pela cor branca, assim como os armários dos quartos. Espelhos ajudam a abrigar os brinquedos das crianças e manter o cômodo organizado. “Todos os elementos que são atemporais a gente reestruturou”, diz Camila Forbeck.

O quarto de hóspede recebeu tons neutros e mobília funcional. Já no das crianças, cada uma pode escolher como destaque o que mais gostava. Uma delas optou por estampar sua identificação com as obras coloridas de Romero Britto, e a outra preferiu o toque mais romântico, com bonecas e cores claras. No ambiente do casal, a suíte recebeu uma banheira no lugar de um jardim de inverno, com visão para a circulação e o closet. O espaço de circulação da suíte ganhou uma penteadeira, e transformou-se em um espaço de vestir.