D. ARCHI #3 DISCRIÇÃO, HARMONIA E FUNCIONALIDADE

_CBG4375

Linhas retas, cores atemporais e praticidade são elementos fundamentais no projeto dos arquitetos Rodrigo Barrocal e Cassiano Ferraz.

 

Sabe aquela história de mais é menos? Isso se aplica bem ao projeto comercial desenvolvido pelos arquitetos Rodrigo Barrocal e Cassiano Ferraz, do  escritório Baaz Arquitetos. O pedido recebido por eles foi simples: um espaço bonito, harmônico, mas funcional. Atentos ao tipo de comércio, os arquitetos trabalharam em um projeto o mais limpo possível, empregando linhas retas e cores neutras para valorizar cada produto em exposição.

Com mais de meio século de história em Ibiporã, a Ótica M. Cortez se renovou, e precisava de uma loja que externalizasse o conceito da nova marca e permitisse receber da melhor forma cada cliente. “Nossa intenção foi fazer um projeto o mais clean possível, pois há muitos objetos pequenos em uma ótica. Objetivamos um ambiente bem limpo e leve, por isso, optamos por peças grandes, linhas horizontais, limpas, sem muito enfeite, para poder dar destaque aos produtos sem ficar pesado visualmente”, explica Barrocal.

O emprego de cores neutras ajuda a deixar o ambiente leve, harmônico e atemporal. Preto, branco, madeira e o dourado – que destaca a parede de fundo – formam a combinação ideal no projeto dos arquitetos. “Uma ressalva da proprietária foi oferecer espaço para receber e atender vários clientes ao mesmo tempo, por isso a disponibilidade de muitos assentos”, lembra o arquiteto. “Além de bastante espaço para expositores e versatilidade na vitrine”. Os arquitetos fizeram até das mesas espaços para exposição de produtos. Por esse motivo, a instalação de diversos armários foi fundamental para manter o ambiente sempre organizado e funcional ao mesmo tempo. “Os vários armários são móveis necessários ao funcionamento da loja, para abrigar acessórios e materiais do dia a dia, já que as mesas são mostruários”, defende Barrocal.

O projeto organiza ainda setores para cada tipo de produto. “Colocamos de um lado a parte de ótica, e do outro as jóias e relógios”, aponta Cassiano Ferraz. Eles se preocuparam ainda em criar um espaço reservado aos clientes, usado para aguardar um ajuste ou mesmo enquanto aguarda o acompanhante durante suas compras. “Aproveitamos que a vitrine ao fundo é ampla e colocamos um lustre nesse ambiente, que traz não só dá charme, como também ornamenta a vitrine”, diz Rodrigo Barrocal. O papel de parede confere ainda mais charme e emprega textura às paredes, mas mantém a ideia de linhas geométricas, seguindo o padrão de cores em preto e branco.

Um painel em madeira divide a área do caixa e funcional da loja, como estoque e gerência. Por ser uma peça móvel, permite o acesso do cliente, até mesmo cadeirante, ao bainheiro, nos fundos da ótica. “Como é uma loja de tradição, tem todo tipo de cliente, até mesmo uma pessoa de idade precisa ter acesso facilitado, por isso, fizemos uma rampa na entrada e abrimos mais espaço de circulação no interior da loja”, aponta Barrocal. Atrás do caixa, a oficina de ajustes e reparos dos óculos, jóias e relógios, permanece em uma área mais reservada, cuja persiana em madeira segue as mesmas linhas horizontais da divisória móvel de madeira.

Os arquitetos comentam que podem se orgulhar não só pelo projeto concluído, mas principalmente por transformar as perspectivas do papel em realidade. “Do jeito que projetamos a perspectiva, ela se concretizou na obra, pois pensamos bem em cada detalhe na hora de projetar, para que seja possível também na realidade”, diz Ferraz.