D.BEAUTY #3 PARA SORRIR SEM MEDO

dentes

Uma pele mais lisinha, sem marcas profundas de expressão depende de prevenção. Mas, se o resultado precisa ser imediato, dermocosméticos com efeito lifting podem ajudar!  

 

Quem não deseja manter a pele saudável, com aspecto jovial, sem marcas de expressão antes da hora? Um dos produtos mais eficazes contra o surgimento de sulcos profundos na pele é a toxina botulínica, aplicada diretamente nos músculos da face. A indústria dos dermocosméticos tem avançado, e já disponibiliza produtos capazes de promover um efeito lifting imediato, atenuando, ainda que por um período efêmero, linhas superficiais de expressão. Embora a recomendação principal dos dermatologistas seja sempre a prevenção, o uso esporádico desses dermocosméticos gera um verdadeiro “efeito Cinderela”, disfarçando por algumas horas os efeitos da idade.

A toxina botulínica é um medicamento que inibe a ação da musculatura, que, ao se contrair, produz as chamadas “rugas dinâmicas” – aquelas que surgem com a expressão facial, quando a pessoa sorri, por exemplo. A repetição desse movimento de contração e descontração ao longo dos anos “quebra” a pele, formando linhas que vão se transformando gradativamente em rugas mais profundas. A toxina botulínica atenua essa sequência, evitando que essas imperfeições surjam precocemente.

Segundo o médico dermatologista Rubens Pontello Júnior, cada aplicação dura de três a seis meses, dependendo do perfil de cada paciente. “Pessoas que falam muito, gesticulam muito, por exemplo, estimulam muito os músculos, levando à diminuição do período de ação da toxina”, explica.

Entre outros benefícios, a substância também ajuda as contrações das glândulas sudoríparas, eliminando assim a produção excessiva de suor em determinadas partes do corpo, como axilas, mãos, pés e até couro cabeludo. “Não há idade mínima para uso do botox. Pessoas muito expressivas e de pele mais clara costumam ter as primeiras linhas entre os 25 e 30 anos – uma boa idade para começar a usar. Já aquelas que, naturalmente, produzem poucas linhas de expressão acabam aderindo mais tardiamente ao procedimento, por volta dos 40 anos”, detalha.

Existem no senso comum certos mitos em torno do uso de botox. O principal deles está em torno da expressão facial dos pacientes, que ficaria prejudicada com a aplicação contínua da substância. A dermatologista londrinense Andrea de Paula, no entanto, garante que não há com que se preocupar. “Hoje a aplicação da toxina botulínica está muito mais delicada e individualizada, possibilitando resultados mais naturais e harmônicos. O objetivo não é mais tirar totalmente as rugas e expressão de determinada área, mas sim suavizá-las, deixando a fisionomia mais leve e descansada”, esclarece. “Outros mitos que não se justificam seriam os de que as aplicações com o tempo não teriam mais efeito, ou mesmo a suposição de o uso não-contínuo da substância provocaria o aumento das rugas ou o desgaste da fisionomia. Estudos sérios que acompanharam pacientes por um período entre 15 e 20 anos comprovam a inexistência de outras modificações estéticas significativas ou prejudiciais”.

Quando aplicado, o botox começa a agir em um período de três a cinco dias após a aplicação. O doutor Pontello recomenda alguns cuidados: “Não massagear em excesso a região, para não dispersar o produto, que é aplicado e precisa ser mantido em pontos específicos.” O botox, segundo ele, não é indicado para pessoas que tem doenças musculares degenerativas, às gestantes e às que estiverem em tratamento com antibióticos que também interferem na musculatura.

Para Aline Borba, sócia de Andrea de Paula na Clínica Live, é preciso critério e cautela na hora de selecionar o especialista que fará o procedimento no paciente. “Quando o tratamento é feito por profissionais não capacitados, podem ocorrer diversos transtornos: infecções locais por manipulação inadequada ou falta de higiene, efeito e duração menores do que o esperado e até mesmo o acometimento de músculos que comprometam outras funções, provocando resultados inestéticos ou assimetrias desastrosas”, enumera a dermatologista. “Os profissionais mais capacitados para aplicação de toxina botulínica são médicos com especialização reconhecida em dermatologia ou cirurgia plástica. Assim, cabe ao paciente certificar-se de que o profissional que irá fazer a aplicação possui o devido registro dentro da sua sociedade médica – facilmente visível através dos sites da Sociedade Brasileira de Dermatologia ou da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Importante também alertar para a preços abaixo da média de mercado – sempre válido desconfiar deles.”