D. CHILD SORRISO FELIZ E SAUDÁVEL

_CBG3713

Especialistas explicam como – e quando – se preparar para as mudanças ocasionadas pelo nascimento dos primeiros dentes do seu filho.

 

A primeira dentição é uma etapa fundamental na formação da criança. Além da alimentação e da estética facial, a questão também tem grande influência no desenvolvimento pessoal dos pequenos, como a fala e a respiração.

Segundo a odontopediatra Gabriela Fleury, o cuidado com os dentinhos do bebê começam antes mesmo de eles serem visíveis, com orientações às mamães, sempre com foco na prevenção. “É importante que os pais procurem um especialista logo após o nascimento, para a elucidação de dúvidas e acompanhamento da criança. Assim terão uma orientação individualizada sobre quando iniciar o uso das escovas dentais, fio dental, qual o creme dental indicado para o seu filho, etc.”, aconselha. “O ideal é iniciar a limpeza da cavidade bucal do bebê logo nos primeiros dias de vida. Ela pode ser realizada com gaze umidificada em água filtrada, ao menos uma vez ao dia. Depois que os primeiros dentes irrompem na cavidade bucal, esses cuidados devem ser repetidos ao menos duas vezes diariamente.”

Gabriela explica que o período da erupção dentária pode provocar algumas alterações no humor e no quadro clínico aparente da criança, como o aumento na salivação, irritabilidade, sono agitado, falta de apetite, aumento na temperatura corpórea (até 38ºC) e episódios isolados de diarreia. Ela também lista uma série de medidas que podem ser adotadas para diminuir o desconforto dos pequenos: “Os pais podem oferecer mordedores de borracha, atóxicos, para uma massagem gengival e alívio dos sintomas. Géis e pomadas com substâncias anestésicas e alguns fitoterápicos também são recomendados. Importante lembrar que nunca se deve utilizar nenhuma medicação sem a prescrição de um médico ou cirurgião-dentista, para a própria segurança das crianças.”

Com mais de 30 anos de experiência, a dentista Maria Lúcia Franzon considera importante desmitificar a questão de saúde bucal desde cedo junto às crianças. “Eu ensino para as mães que, quando o assunto é higiene bucal, elas devem abordar os filhos brincando, cantando. Assim, sensorialmente ela grava que é uma sensação boa, um momento de a mãe fazer carinho, ficar feliz, elogiar”.

Ela também recomenda iniciar o tratamento odontopediátrico antes do surgimento dos primeiros dentes. “O treinamento da mãe prefiro fazer antes dos quatro meses, para que ela esteja apta a fazer a abordagem de boca, que é a orientação a partir de quando a criança começa a se mostrar incomodada com os dentes que apontam. Orientamos que ela aproveite esse momento para fazer massagem, para que a criança comece a se acostumar com a mãe manuseando sua boca”, ensina.

Maria Lúcia adota o flúor em consultório desde o primeiro dia de consulta, principalmente quando o paciente em questão já tem os quatro dentinhos da frente – mas o creme dental com flúor somente quando a criança já tem capacidade de cuspir. “O ideal é apenas sujar a escova com o creme dental. Quando se coloca muito, acaba produzindo muita espuma e a criança fica com a impressão de que os dentes estão limpos antes da hora. Assim, a escovação fica prejudicada. Oriento as mães que escovem os dentinhos da criança primeiramente sem pasta, para só depois usar o produto e também deixar a criança escovar sozinha”, explica ela, ressaltando também a importância de as mães acompanharem e orientarem todo o processo da escovação. 

Sem medo do Dentista

Muitas crianças costumam sentir medo quando começam suas primeiras consultas odontológicas. É possível reverter isso? Apostando no sim, o grupo Angelus acaba de lançar a linha de produtos Angie, com a proposta de eliminar a aura de temor que envolve os tratamentos odontopediátricos e torná-los uma verdadeira diversão para os pequenos. Entre os principais artigos a luva para carpule (seringa anestésica) em formato de jacaré e o Dental Álbum, livrinho ilustrado com espaço para a criança guardar os dentinhos que cairão.