D. BEAUTY #4 FEITO DE INSPIRAÇÃO E DE BRASIL

S

A feito brasil tem como missão inspirar e dar alma aos cosméticos  – e tem dado certo!

Por Layse Moraes

Fotos Fábio Pitrez

 

Na recente inauguração da Sephora em terras londrinenses, uma marca se destacava entre as internacionais. Tratava-se da feito brasil e da Quintal – esta sendo o ramo de dermocosméticos daquela – e de suas embalagens belas e cheias de brasilidade. A surpresa maior, porém, veio depois… a feito brasil é paranaense e não só: é do Norte do Paraná, com sede em Mandaguaçu, região metropolitana de Maringá.

Em tempos em que uma boa história é a melhor estratégia de marketing, a feito brasil tem ouro nas mãos. Com início de suas atividades em 2004, seu embrião inspirador na verdade vem de muito antes. A gaúcha Lena Peron, criadora da feito, tem uma relação com o universo da beleza e do cuidado que começa ainda na infância: “Eu tinha 6 anos e meu tio tinha uma pequena indústria de cosméticos. Quando eu cheguei lá, fiquei encantada. Aos meus olhinhos de criança, foi como se eu tivesse entrado na Fantástica Fábrica de Chocolates. Essa paixão ficou na minha cabeça… algum bichinho me picou”, conta ela.

A quintal é mais tecnológica, tem nanotecnologia, público mais jovem

Na adolescência, Lena era muito vaidosa, sempre pesquisava o que era bom para a pele, o que era bom para o cabelo, e, aos poucos, foi virando referência para seu grupo de amigas, sempre usando ervas e plantas como a base de seus truques de beleza. Apesar disso, a formação de Lena não se alinhou com essa paixão (ela cursou Letras), mas que, segundo ela, tem muito a ver com o universo da feito brasil hoje. “Hoje eu percebo que Letras me ajudou na parte de contar histórias”, ela explica.

A paixão por cosméticos, no entanto, manteve-se e foi acalentada por uma década até que ela e o marido resolveram abrir uma franquia do segmento. Esse foi só o primeiro passo de muitos até os dois chegarem ao Norte do Paraná de mudança, de onde a família do marido é, e montar a primeira indústria, que cresceu e agregou vários sócios. Foi nessa época que Lena começou a fazer, paralelamente, sabonetes artesanais (o primeiro produto lançado foi um sabonete simples, com fragrância de frutas), viu que dava certo, e resolveu começar uma nova empresa. Iniciava-se aí a feito brasil, em 2004. “Eu sou a mama da feito brasil porque abri a empresa pensando nos meus filhos, Felipe e Giulio, então sou a mama dos fundadores, e a mama da empresa, porque de uma forma ela é minha filha também”, Lena explica. Ela fazia os sabonetes na edícula de casa, de final de semana, até encontrar um espaço mais adequado. Em 2008, a feito brasil se mudou para o lugar onde está hoje, começando a ganhar os contornos atuais e levando à risca o slogan “inspirar é a nossa natureza”.

 

A casa feito brasil, como é carinhosamente chamada, é uma chácara que conta com horta, refeitório, árvores frutíferas, a sede da feito brasil, onde os produtos são pensados, produzidos e embalados, e a própria casa da Lena e de sua família.

 

Lena sabia muito bem o que queria desde o começo: tudo de origem vegetal e nada testes em animais. Havia também, desde o princípio, a ideia de empoderar mulheres e construir uma empresa majoritariamente feminina, em todos os segmentos, traçando uma identidade coerente. Bem sustentada por uma bela ideia e quatro pilares (valorização do ser humano; sustentabilidade da vida; brasilidade, arte e cultura; empoderamento da mulher), a feito brasil é formada por 95% de mulheres. “Empoderamento feminino agora está na moda, mas isso é uma coisa que a gente faz desde sempre”, reforça Lena. “Também tem o processo artesanal de fabricação, de estar numa chácara, de fazer as coisas com sentido, de dar um novo olhar para o consumo, um consumo consciente. Tudo isso já estava nas nossas raízes, já fazia parte da nossa vida”. A bela ideia, no entanto, demorou a engrenar: só em 2011 é que Lena saiu definitivamente da outra empresa e pôde se dedicar totalmente a feito brasil.

Em 2012, Giulio, filho mais novo de Lena, abraçou o ideal da mãe e começou a trabalhar na feito. “Ele veio com alguns questionamentos… onde você acha que a feito deveria estar? Pra quem você gostaria de vender?”, Lena conta. Ela então resgatou um antigo sonho e objetivo: a Sephora, mas a Sephora não vendia marcas nacionais… A feito então entrou em contato com a gigante dos cosméticos e a resposta não poderia ser melhor: “abriram essa exceção porque se apaixonaram”, Lena conta. Em 2013, a feito brasil começou a ser vendida no site da Sephora e em 2014 em todas as lojas físicas, sendo a primeira marca brasileira de cosméticos a ser vendida na Sephora, ao lado das melhores e maiores marcas de cosméticos de mundo.

A abertura de portas na Sephora fez com que a feito brasil recebesse bastante atenção e levasse uma séries de prêmios, desbancando inclusive gigantes do segmento. Entre as honrarias, o Ouro no WEPs 2014 (Empresas Empoderando Mulheres) na categoria Empresa de Pequeno Porte, uma realização da Itaipu Binacional, com apoio institucional do UN Global Compact, UN Women, Rede Brasileira do Pacto Global, ONU Mulheres Brasil e promoção do Tempo de Mulher e também Ouro no ABIHPEC – BELEZA BRASIL 2016 na categoria Empreendedorismo, considerado um dos mais importantes do setor, pela feito brasil, em meio a uma crise econômica nacional, ter expandido suas fronteiras e se consolidado no mercado por sua ousadia e expansão no mercado de cosméticos. “Chegamos até aqui e hoje estamos prontos para ampliar os nossos horizontes e buscamos uma internacionalização da marca”, Lena já adianta os próximos passos.

O cenário atual é dos mais positivos: a feito brasil é a marca que mais cresceu na Sephora em 2017 e outros números atestam a boa maré: 2016 teve o dobro do faturamento em relação ao ano anterior e hoje a Quintal representa 60% do faturamento da feito brasil.

A explicação para o sucesso mesmo em um momento complicado? A feito brasil se alinha com duas tendências grandes de mercado: a personalização e a experimentação. Pensando nisso, a feito pretende ampliar ainda mais as experiências dos clientes: planeja abrir lojas próprias e também construir casas dentro do incrível mundo da feito, para que as pessoas vivam esse universo do bem-estar de perto.

Lena conta que, apesar do presente estar sendo uma experiência doce, o passado foi muito difícil e ela pensou em desistir inúmeras vezes. “Eu brinco que eu me joguei de um precipício sem saber se eu tinha paraquedas nas costas. Foram momentos realmente de muita superação e obstinação, uma vontade e um foco de continuar. Isso aqui é como um propósito de vida. Eu moro aqui, é meu quintal. Por isso o nome da Quintal, inclusive. É tudo através da nossa vivência. Aqui a gente não faz discurso, a gente vive”.

A feito brasil faz do bem-estar, do amor próprio e do cuidado de si o seu negócio: “Aqui, a gente valoriza as diferenças. Não tem a menor graça transformar as pessoas em algo que elas não são. Então a gente não vende uma beleza insustentável, a gente quer que você se sinta bem com aquilo que você tem, com os seus atributos, com a sua vivência. Se é pra você comprar um cosmético nosso, não compre se não faz sentido pra você. Não é isso que a gente quer. A gente quer que aquilo que você vai usar no seu corpo faça sentido pra você. Como isso foi feito? De qual forma? Foi uma outra pessoa que fez isso pra ti. Foi feito um a um, tem todo um sentido… é um luxo experencial. É aquela coisa de fazer com sentido, por mãos humanas. Para nós, a beleza não tem que ser transformada, a beleza é a de verdade, que todos nós temos”.

A quintal é mais tecnológica, tem nanotecnologia, público mais jovem. A feito brasil foca em experiência de banho e tem como carros-chefe de sabonetes, esfoliantes e esfoliantes

Sobre a importância de construir uma empresa que inspira e tem alma, Peron nem precisa pensar duas vezes. “É toda a importância! Acho que fomos muito felizes no nosso slogan, porque é isso. A nossa missão é encantar, acolher e inspirar pessoas. É uma missão curta, mas muito grandiosa. São apenas três verbos, mas a gente tem que cumprir com louvor em tudo o que vai fazer. Eu quero a essência de tudo isso… Daí surgiu o ‘inspirar é a nossa natureza’. Essa é a nossa grande missão: inspirar. Mostrar que a gente pode tornar o mundo um lugar melhor e mais belo, então, em cada toque e em cada coisa, a gente procura tirar a beleza, mas a beleza da rusticidade, da simplicidade, do que é essencial, dando um novo olhar, um olhar que a gente acredita que é verdadeiramente fundamental pra nós hoje”.