TRILOGIA DO ESQUECIMENTO, DO CINEASTA LONDRINENSE RODRIGO GROTA, SERÁ EXIBIDA NO JAPÃO

11

Trilogia do Esquecimento, composta pelos curtas Satori UsoBooker Pittman e Haruo Ohara, será exibida nesta quinta, dia 15 de março de 2018, às 18h, na Embaixada Brasileira em Tóquio. Após a exibição, o autor da Trilogia, o cineasta Rodrigo Grota, irá participar de um debate com tradução simultânea para o público japonês. Esta será a primeira exibição dos três filmes juntos no Japão: “Estou muito feliz com esse convite da Embaixada, principalmente pelo fato de que sou fascinado pela cultura japonesa e sempre quis saber como seria a reação dos japoneses diante dos filmes”, revela Grota, diretor e roteirista dos filmes.

Produção londrinense

Os filmes que integram a Trilogia foram produzidos em Londrina entre 2005 e 2010, conquistaram 53 prêmios entre festivais nacionais e internacionais, e foram exibidos em 8 países (EUA, México, França, Rússia, Espanha, Polônia, Grécia, Japão), além de variados canais de TV (Canal Brasil, TV Cultura, TV Brasil, Canal Curta e Universal Channel). Entre as principais conquistas estão 13 premiações no Festival de Gramado, 3 Prêmios ABC (Associação Brasileira de Cinematografia) de Melhor Fotografia, 3 Prêmios de Aquisição do Canal Brasil, além do Don Quixote Award atribuído pela Fedération Internationalle des Ciné-Clubs em 2011 para o curta Haruo Ohara.

Produzida pela Kinoarte em parceria com a Kinopus entre 2005 e 2010, a Trilogia do Esquecimento mostra a Londrina dos anos 1950 a partir de um ponto de vista imaginário e ao mesmo tempo documental: “A ideia sempre foi registrar a cidade, mas não a partir do que ela foi, e sim, do que ela poderia ter sido. Não nos interessava a ideia de registro apenas, de relato objetivo, e sim uma abordagem que privilegiasse o sonho, a imaginação, o documento especulativo. Por isso a ideia do esquecimento – o que desconheço, permanece”, explica Rodrigo Grota.

Em 2013, os filmes foram lançados em DVD e Blu-Ray com patrocínio da Prefeitura de Londrina via Promic, com extras (making of, fotos), legendas em inglês, francês e espanhol, além de um encarte bilíngüe – este foi o primeiro lançamento de curtas brasileiros no formato de alta definição. O curta Satori Uso já havia sido lançado em DVD pela Programadora Brasil em 2009, e chegou até a ser exibido nos cinemas em 11 capitais ao longo de 2008 e 2009 dentro do projeto Petrobrás Curta às Seis.  Em maio de 2014, os curtas foram exibidos em sessão especial na Cinemateca Francesa. Em 2015, o pesquisador Edward King, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, lançou o livro Virtual Orientalism in Brazilian Culture, em que analisa os curtas Satori Uso e Haruo Ohara, entre outros temas. Desde 2016, o curta Haruo Ohara tem sido exibido como peça integrante da exposição do fotógrafo Haruo Ohara em variadas cidades do Japão.

Com produção de Bruno Gehring e Guilherme Peraro, direção de fotografia de Carlos Ebert, direção de arte de José de AguiarRogério Ivano (Satori), Caren Utino (Satine), Edson Montenegro (Booker Pittman), Cléo de Páris, e Marco Hisatomi (Haruo Ohara) no elenco principal figurinos de Luciana Gadotti e Nélio Pinheiro, assistência de fotografia de Anderson Craveiro, edição de som & mixagem de Luiz Adelmo, e montagem de Rodrigo Grota, os curtas foram produzidos com patrocínio da Prefeitura de Londrina via Promic (Satori Uso e Booker Pittman) e do Ministério da Cultura (Haruo Ohara). O curta Satori Uso foi criado a partir de um personagem criado pelo poeta londrinense Rodrigo Garcia Lopes – as poesias que estão no filme foram criadas pelo escritor. O roteiro do curta Booker Pittman foi escrito por Grota em parceria com Artur Ianckievicz, que também foi assistente de direção.

É possível adquirir o DVD neste link, ou assistir aos filmes na íntegra e de forma gratuita nesta página.

(Hotel Berlim)