O FUTURO DA ORTODONTIA É AGORA

_CBG9624_1

Alinhadores invisíveis são o que existe de mais tecnológico na Ortodontia atual e prometem o que já foi um sonho: menos dor e mais conforto com quase nenhum impacto estético – tudo isso bem mais rápido do que os aparelhos tradicionais

Por Layse Barnabé de Moraes

Fotos Fábio Pitrez/Divulgação

 

Freio de burro, aparelho fixo, borrachinhas coloridas… os aparelhos ortodônticos moram no nosso imaginário dessa forma, incluindo pitadas de dor e desconforto. A boa notícia é que o futuro da Ortodontia já chegou e oferece possibilidades que superam as expectativas dos pacientes.

Para saber mais sobre os rumos atuais da ortodontia, conversamos com a Dentista Andrea Donati Neukirchner, especialista em Ortodontia e Implantodontia.

Andrea é quem nos apresenta os alinhadores invisíveis, que alcançaram um grande avanço tecnológico nos últimos anos e prometem o que já foi um sonho: menos dor e mais conforto com quase nenhum impacto estético – tudo isso bem mais rápido do que com os aparelhos tradicionais.

Segundo ela, são mais de 270 tipos de alinhadores invisíveis no mercado, mas ela trabalha com o Invisalign, pioneiro, lançado no Brasil em 2002. “No início, o Invisalign era indicado para alguns tratamentos simples, de apinhamentos ou espaçamentos pequenos. A gente conseguia tratar poucas coisas com ele. Alguns ortodontistas até hoje tem a impressão de que ele só funciona para coisas muito simples. O alinhador invisível, a princípio, era uma ideia maravilhosa, mas não chegava aonde a gente queria. Mas, em 2010, a marca veio com bastante força para resolver essas questões”. Segundo o site da marca, os casos tratáveis com Invisalign hoje são: dentes apinhados, sobremordida, prognatismo, mordida cruzada, diastemas, mordida aberta, também atendendo a busca puramente estética por dentes mais alinhados.

Invisalign (Divulgação)

Sem fórmulas prontas

Andrea conta que qualquer ortodontista pode se credenciar – por isso, ela destaca, é importante sempre procurar um profissional qualificado, que você confie. “O mais importante do tratamento é o ortodontista. O que importa é o que o ortodontista da sua confiança vai te prescrever. Como vai se chegar até o objetivo final é só um caminho… contanto que ele saiba o que está fazendo”, Andrea explica.

Como o Invisalign traz toda uma dimensão virtual do tratamento e envia os alinhadores prontos, parece, superficialmente, que tudo já está finalizado: um engano. Andrea destaca que o Invisalign é uma empresa de tecnologia, então quem manda no tratamento é o ortodontista: “O profissional só usa aquele alinhador para chegar ao objetivo que quer”.

 

O mais moderno tratamento ortodôntico

Já existem 5 milhões de tratamentos Invisalign no mundo. É, segundo Andrea, o mais moderno tratamento ortodôntico. “Ele é o precursor, está há anos luz dos concorrentes. Eles investem mais de 85 milhões de dólares por ano, então há muita seriedade”.

Detalhe do Invisalign: apesar de ser removível, é necessário usá-lo 22 horas por dia

O plano de tratamento é feito virtualmente, usando inclusive um scanner virtual. “Do tamanho de uma caneta, ele escaneia a boca, sem a necessidade do molde com massa. O scanner é muito mais preciso, melhor do que a moldagem. Depois que eu escaneio o paciente, já me mandam como vai ficar o tratamento. Então é nessa hora que a dentista precisa rever, corrigir, aprovar, para só depois mostrar o que vai acontecer em cada alinhador e também mostrar uma prévia do resultado final para o paciente. Isso feito, a dentista manda confeccionar os alinhadores, que demoram de 45 a 60 dias para chegar. Outro benefício é que já no início do tratamento o paciente tem posse de todos os alinhadores que precisará usar. Caso mude de país, por exemplo, ele já tem tudo ali, precisando apenas do acompanhamento de um dentista responsável”, diz Andrea.

Além do benefício de ser bem menos dolorido, com o aparelho fixo convencional é necessário movimentar a arcada inteira. Já com o Invisalign é possível movimentar apenas o dente que precisa ser trabalhado. Além disso, tira-se para comer e para higienizar (com escova, água e pasta de dente). Apesar da facilidade de ser móvel, o alinhador precisa ser usado por 22 horas por dia: “Eu costumo brincar: ele é invisível, ele é confortável, mas precisa ser usado. Se não for usado, não vamos chegar ao resultado final. Mas é claro que em um casamento ou uma festa dá para abrir exceções e ir sem”.

Andrea me explica que, no passado, algumas das críticas aos alinhadores invisíveis se baseavam no fato de que eles não davam ângulo na raiz, só movimentando o dente, o que fazia com que o tratamento não fosse plenamente bem sucedido. Ela esclarece que hoje isso não é mais uma realidade: “por conta dos attachments, hoje o Invisalign consegue fazer isso, trazendo o dente como um todo”.

Os attachments são pequenas protusões de resina acrílica para facilitar a “pegada” no dente. “Sem isso, algumas movimentações não são possíveis. Isso faz do Invisalign um aparelho quase invisível, porque ainda há acessórios. Os pacientes não gostam por ser uma resina fixa, que fica protuberante, apesar de ser da cor do dente… É muito raro um tratamento sem atachments. Mas entre isso e os braquetes, óbvio que é uma melhor opção. Mas o que eu acho mais legal do Invisalign é o conforto para o paciente. Só de poder tirar o alinhador invisível para higienizar e comer já é muito melhor”, diz ela.

Andrea conta que, em sua prática profissional, acaba sempre utilizando duas técnicas para alcançar o melhor resultado: o Invisalign e o Propel – este último, um procedimento acelerador do movimento dentário, que significa redução de até 75% do tempo de tratamento, podendo também ser usado na ortodontia convencional, com os braquetes. Feito através de microperfurações ósseas entre as raízes dos dentes, realizadas por uma broca bem fina e com anestesia, Andrea ressalta que os benefícios são muito grandes em comparação ao desconforto, que é mínimo. “Os alinhadores invisíveis da Invisalign são trocados de 7 em 7 dias e com o Propel você consegue trocar até de 3 em 3 dias”, detalha ela. “Um tratamento de ortodontia convencional básico hoje se resolve, em média, no tempo de 1 ano e meio. Com o Invisalign, você resolve em 9 meses e, combinado com o Propel, às vezes até em 3 meses. A comparação é desleal”, complementa.

Apesar de tanta modernidade, Andrea diz que após o tratamento ainda é necessário usar a contenção: no caso do dentes inferiores, de canino a canino, fixa; e nos dentes superiores na forma de aparelho móvel.

Invisalign para todos?

Com tanto avanço tecnológico, o Invisalign é quase para todos, mas ainda tem suas limitações. “Quando o problema é de ortopedia, de desalinhamento facial, há ainda a necessidade do aparelho convencional. O Invisalign já está entrando nesse ramo, mas ainda é limitado”. Mesmo assim, dá para corrigir coisas não estéticas, como funções da mastigação (quando não for defeito ósseo). “A ortodontia visa à função. A estética está em segundo plano, é uma consequência. A ortodontia vem em primeiro lugar: pode evitar um implante, podendo inclusive fechar o espaço de um dente ausente, por exemplo”, esclarece Andrea.

Por ser móvel, o Invisalign pode ser utilizado por pessoas que praticam esportes de luta, por exemplo

Para os usuários de implantes, Andrea alerta que os implantes não se movimentam, mas isso não impede quem os possui de utilizar o Invisalign para cuidar dos outros dentes, exatamente pela facilidade de conseguir movimentar só aqueles que precisam de correção.

Custo x benefício

Andrea me conta que, atualmente, a grande vantagem do Invisalign é a cobertura de tratamento por 5 anos – na prática, caso alguém trate com o Invisalign e aconteça qualquer coisa que faça com que os resultados do tratamento se prejudiquem em maior ou menor grau, como não usar a contenção corretamente, pode-se voltar e fazer um novo tratamento sem custo algum.

Custo, aliás, é um dos fantasmas que rondam os alinhadores invisíveis… Houve um tempo em que o tratamento com o Invisalign era cobrado em dólar, sem possibilidade de parcelar e sem o benefício dos 5 anos de garantia. Hoje em dia é diferente. Com a chegada do escritório do Invisalign no Brasil, o tratamento conseguiu baixar um pouco e sai agora de 10 a 15 mil reais. Não é barato, Andrea concorda. Mas reforça: nesse valor, estão inclusas todas as mensalidades, todo o tratamento e mais a garantia do retratamento, caso seja necessário, em até 5 anos. “Dente é tão importante quanto qualquer outra coisa. A gente vai ter isso por toda a vida”, ela defende.

Segundo Andrea, todos pacientes escolheriam o Invisalign se pudessem. “Eu também não tenho dúvida em indicar. Inclusive no tratamento de crianças”, ela esclarece.

 

Ortodontia do futuro

“Dente é tão importante quanto qualquer outra coisa. A gente vai ter isso por toda a vida”, reforça Andrea

“Eu queria trabalhar só com alinhadores invisíveis. Eu tenho um mesmo trabalho inicial de diagnóstico e planejamento de tratamento, mas a manutenção é muito mais ágil e rápida. Então isso é bom tanto para o dentista quanto para os pacientes”, Andrea confessa.

Conforme o passar do tempo, ela acredita que o próprio Invisalign vai se tornar mais acessível, mas destaca que não podemos nos esquecer de nos preocupar com qual dentista vamos tratar: “isso muda tudo no prognóstico”, alerta ela. E conclui: “A Ortodontia parece simples, mas é muito complexa. E o Invisalign é a melhor opção hoje. Eu considero que daqui a 10 anos não vai mais existir aparelho convencional. Os pacientes são muito mais bem tratados e se sentem muito mais confortáveis com o alinhador invisível do que com o braquete. Não tem como parar a tecnologia. Uma vez que chega, não dá pra voltar pra trás”.