O PIONEIRO DO BLUES PÉ-VERMELHO

DESTAQUE D MUSIC

Em entrevista exclusiva à Drops Interview, o guitarrista e empresário Kiko Jozzolino conta como colocou Londrina no circuito nacional do gênero e a história de um dos maiores festivais de Blues do País

Por Eduardo Sahão

Fotos Acervo Kiko Jozzolino

 

Orgulhosamente, Londrina tornou-se rota obrigatória para artistas de Blues do mundo todo. E o responsável por colocar a cidade no eixo dos maiores nomes do estilo, nacionais e internacionais, é o guitarrista e produtor musical pé-vermelho, Kiko Jozzolino, nome artístico de Francisco de Assis Jozzolino.

Kiko nasceu em Londrina. Morou por 15 anos na cidade de Salvador-BA, mas admite: “Nunca gostei muito dos estilos baianos. Eu vi o Axé Music nascer na década de 90 e até dividi o palco com nomes que hoje são reconhecidos nacionalmente, como Daniela Mercury e Asa de Águia, conheci músicos incríveis. Mas tudo mudou quando ouvi um disco do Eric Clapton pela primeira vez. Ali eu descobri a música que queria levar para a vida”.

O gênero Blues surgiu como manifestação cultural dos escravos nas plantações de algodão do sul dos Estados Unidos, especificamente Mississipi, Alabama e Louisiana, no final do século XIX. E tinha sua base intimamente ligada às raízes africanas de seus criadores. Após a popularização do estilo na década de 30 por nomes como Robert Johnson e, posteriormente difundido por instrumentistas como B.B. King e Muddy Watters, o estilo musical se consolidava por sua originalidade e sensualidade, sendo matéria-prima fundamental para inúmeros outros gêneros que vieram posteriormente, como o Jazz, o Rhythm and Blues, o Rock and Roll e o Rockabilly.

O guitarrista conta que, na época, o acesso a esse tipo de música na Bahia era muito difícil. “Não tínhamos nada lá. Não chegavam os discos nas lojas, instrumentos de qualidade então, nem pensar! Quando tinha alguma coisa, era porque algum amigo trouxe dos Estados Unidos na mala”, comenta. E foi daí que surgiu o ímpeto de mudar-se para o sul do país.

No ano de 2000, Jozzolino voltou para sua cidade natal com a intenção de fazer um concerto e procurou por músicos que, possivelmente, o acompanhariam em um show de Blues, estilo até então quase inexistente no norte do Paraná. Formada a banda, o Bluesman Londrinense partiu atrás de possíveis pontos de venda. A alma de sucesso do que hoje é um dos maiores festivais de Blues do País surgiu ali.

O empenho e dedicação deram resultado: em poucos dias, os ingressos para o show de Kiko estavam esgotados. Mesmo assim, Kiko estava empenhado e focado em ir pra São Paulo, onde, inicialmente, pensou ser o melhor centro para difundir sua música. Mas sua estadia durou pouco e o clamor londrinense por música de qualidade falou mais alto. Jozzolino estudou guitarra com André Cristóvão, no IG&T (Instituto de Guitarra e Tecnologia), escola famosa para performance de instrumentistas em São Paulo. Mas, frequentemente, recebia convites para apresentar-se em diversos eventos em Londrina. “Eu era sempre tão bem recebido quando voltava que, aos poucos, fui me instalando na cidade. E hoje estou aqui há 18 anos”, conta o músico.

Em 2010, Kiko realizou seu sonho, e também o de apreciadores da boa música. Criou o 1º Festival Blues de Londrina. Já em seu início, com a concepção de marketing cultural bem consolidada, uniu empresas de peso no quadro de patrocinadores, que se interessaram em aliar o nome a um projeto de alta qualidade musical.

Na primeira edição, foram quatro noites com nomes do Blues reconhecidos nacional e internacionalmente. “Nuno Mindelis, e André Cristóvão eram meus amigos pessoais. Assim que souberam da iniciativa, toparam em ajudar na primeira edição por um custo menor. O resultado? Os quatro dias com ingressos esgotados!”, anima-se. “Eu trabalhava em todos os setores. Como não tinha equipe, ia buscar os artistas no aeroporto, varria o chão, produzia o festival, fazia todos os contratos, levava os ingressos, arrumava o camarim, separava as mesas, propostas de patrocínio. Nem sei como eu aguentei tudo isso”, relembra, orgulhosamente.

Fatores como a pontualidade dos shows, qualidade musical das atrações, ações promocionais de divulgação e organização impecável fizeram o festival, no decorrer de seus oito anos de existência, ser considerado um dos cinco Festivais de Blues mais importantes do Brasil, segundo matéria da Folha de São Paulo publicada em 2017. Artistas do circuito de Blues do mundo todo já desembarcaram em Londrina para o Festival, como a texana Anika Chambers, JJ Jackson (EUA), o indicado ao Grammy, Earl Thomas (EUA), Victor Biglione (Argentina), Aki Kumar (Índia), entre outros. Jozzolino também escala atrações locais na programação. “Londrina é um centro de excelentes músicos e cantores, essa nova geração de músicos me impressiona. Quanta gente tocando bem!”, contempla.

Atualmente, o Festival Blues de Londrina conta com vários apoiadores. O músico salienta: “Desde a primeira edição fiz questão de não usar um centavo de dinheiro público, justamente para valorizar o empresário que investe em Marketing Cultural. É uma opção pessoal que dá resultado direto às empresas, e o público só tem a ganhar”.

Atualmente, Kiko é convidado para palestrar sobre marketing cultural e administração de eventos em diversos cursos superiores e empresas do ramo. Um exemplo a ser seguido na promoção de arte e cultura.

A próxima edição será na primeira semana de agosto, mas durante todo o ano várias ações e concertos são feitos como chamada para o Festival – como, por exemplo, o Blues no Lago, parte da programação gratuita, no Lago Igapó.