CINCO DICAS PARA COMBATER DEPRESSÃO E ANSIEDADE COM ATIVIDADE FÍSICA

Ex. Físico

Equipe do Além das Curvas dá dicas de como os exercícios físicos podem ajudar no combate à depressão e ansiedade

O Brasil tem, atualmente, a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade no mundo. Ele também é o quinto na lista dos casos de depressão, segundo as estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS). O acompanhamento médico é essencial para combater esses transtornos, mas os exercícios físicos podem ser um bom aliado nessa luta.

Além das Curvas é um projeto criado pelo mestre em Educação Física Daniel Barsottini. Esse é um programa de treinamento voltado exclusivamente para as mulheres e tem como objetivo contribuir para o bem-estar, saúde e autoestima. Se baseando em estudos de como os exercícios físicos podem ajudar a combater transtornos como a ansiedade e a depressão, Barsottini dá algumas dica para esse combate.

1 – Saia do sedentarismo

Segundo um estudo de 2015 do Ministério do Esporte, quase 50% dos brasileiros são sedentários. Além do aumento no risco de desenvolvimento de doenças crônico-degenerativas, o sedentarismo também está associado à ansiedade, depressão e estados negativos do humor. Então, para combater esses transtornos, a primeira dica de Barsottini é a movimentação: uma simples caminhada no parque já é um bom começo!

2 – Pratique exercícios aeróbicos regularmente

De acordo com estudo realizado pelo Centro Médico de Southwestern, na Universidade do Texas (EUA), essa prática regular pode reduzir os sintomas de depressão e ansiedade pela metade. Reserve 15 a 30 minutos, em dias alternados, para se exercitar, dessa forma é possível sentir os efeitos positivos. A pesquisa acompanhou 80 pacientes por três anos e observou que os que realizavam treinamento aeróbico três vezes por semana tiveram uma melhora de 30% nos sintomas, enquanto quem pratica cinco vezes na semana teve uma melhora de 47%.

3 – Corra

No combate à depressão, a corrida, um exercício aeróbico moderado, está entre os mais recomendados. A frequência indicada é de 20 a 30 minutos, de duas a quatro vezes por semana. Sobre a intensidade, sugere-se que a corrida seja realizada em uma frequência cardíaca que oscile entre 60% e 80% da sua capacidade.

4 – Yoga: conecte corpo e mente

Vale lembrar que não são apenas os exercícios de intensidade alta ou moderada que podem auxiliar na melhora de quem sofre com a ansiedade ou a depressão. Segundo estudo realizado pela universidade de Georgetown, em Washington, a yoga possui efeitos antidepressivos e ansiolíticos significativo. A pesquisa foi realizada com 65 mulheres diagnosticadas com depressão e ansiedade. Das participantes, as 34 que fizeram aulas de yoga duas vezes por semana, durante dois meses, mostraram uma diminuição significativa nos sintomas de depressão e ansiedade, em comparação com as 31 que não fizeram.

5 – Aproveite os benefícios

Duas hipóteses buscam explicar os benefícios dos exercícios físicos sobre a área emocional. A primeira aponta que os exercícios físicos conseguem agir psicologicamente, quebrando a espiral depressiva, por meio da substituição de sentimentos e pensamentos negativos por positivos. A outra hipótese é que os exercícios tenham efeito em mecanismos físicos e bioquímicos, com a liberação de três neurotransmissores (serotonina, dopamina e norepinefrina) explicando o efeito antidepressivo do exercício. O exercício teria o poder de estimular o aumento da produção desses neurotransmissores. Outro aspecto relevante sobre esse mecanismo é a liberação de endorfinas, que possuem qualidades capazes de reduzir a dor e produzir um estado de euforia.

Máindi