ATMOSFERA PLANEJADA NOS MÍNIMOS DETALHES

_CBG2298

Arquiteto Ricardo Grangera mostra que, além de conotar elegância e atemporalidade, tons neutros podem também proporcionar conforto e personalidade ao ambiente

Por Nara Chiquetti

Fotos Fábio Pitrez

A casa precisa ser agradável, aconchegante e, claro, a cara dos donos. Afinal, é no refúgio do lar que passamos as melhores horas do dia, acompanhados das pessoas que nos fazem bem, seja para simplesmente relaxar no aconchego da família ou promover eventos entre amigos. Mas, a tarefa de criar o ambiente ideal ao perfil do morador nem sempre é rápida ou simples. E aí começa a fazer toda diferença a relação de interação e cumplicidade entre cliente e arquiteto.

Sofás e poltronas Pallati compõem a sala de estar. Destaque para a mesa lateral, com vidro color e base em cobre

Desde a construção do edifício, o casal de profissionais da saúde proprietário do apartamento troca informações com o arquiteto Ricardo Grangera, trabalho que envolveu desde alterações na planta, até o último objeto na composição da decoração. Tarefa essa concluída recentemente, no início do ano. Para o casal, o prazer de desfrutar cada cantinho do lar, cuidadosamente pensado de acordo com o gosto e estilo de vida deles. Para Grangera, a sensação de missão cumprida, de orgulho pelo trabalho desenvolvido. “Foram cerca de cinco anos de trabalho nesse projeto, desde a planta até a finalização. Então, tudo foi muito bem pensado, organizado, conhecendo o estilo, necessidades e desejos dos clientes”, explica. “Esse é o meu desafio: fazer o cliente satisfeito, fazer que ele tenha prazer ao curtir sua casa”, acrescenta.

Poltronas com detalhe em madeira, da Pallati Móveis

Para o arquiteto, iniciar o trabalho com o edifício ainda em construção, tendo a abertura da construtora para fazer alterações na planta facilita muito o processo, além de gerar economia, já que evita quebradeiras para reconfigurações posteriores. “Assim, consegui transformar o projeto em realidade, tudo feito com tranquilidade, de forma alinhada”. Mas, para se alcançar o resultado desejado, a etapa inicial de levantamento de informações e aproximação com os clientes, é muito importante. “Na conversa de briefing, tento esmiuçar ao máximo, conhecer o cliente, pois essa é a ponta do novelo, é a partir daí que vou chegar ao denominador comum, para um resultado final que agrade”, revela Grangera.

Mesa de jantar, com pendente no mesmo formato

O projeto inicial do apartamento previa três suítes, mas já foi entregue com uma suíte a menos, pois o espaço foi transformado em um home. E a suíte principal ganhou mais espaço, permitindo dois closets – um para ele, um para ela – com o detalhe de que, além de organizar melhor o espaço, a área de closet é isolada por uma porta de correr, proporcionando privacidade e conforto ao dormitório. No quarto do casal, outro detalhe diferencial é a cabeceira da cama, que segue até as paredes laterais e dão um ar de conforto e sofisticação ao ambiente e à peça.

Telão compõe aparato tecnológico

Os moradores, um casal jovem, que gosta muito de receber, precisa de uma área social ampla, para acomodar seus convidados com conforto. Por isso, o living foi pensado de maneira a formar um amplo espaço, com ambientes distintos, ideais para cada tipo de evento ou grupo de pessoas. O mobiliário, todo pensado para acomodar os visitantes da melhor forma, conta com poltronas, banquetas, os sofás do estar, mesas e bancadas na área gourmet e até bar, tudo para proporcionar várias formas de uso. “Os móveis foram todos escolhidos a dedo – quase todos da Pallati Móveis, de Arapongas – e pensados para cada cantinho da casa”, como revela o arquiteto. “As referências da família tem de ir para dentro da casa, porque ela precisa ter a cara do cliente, não do arquiteto e nem da loja. Casa tem de ter cara de casa”, conclui.

Mesa de jantar em laca branca e cadeiras jacquard. Na bancada gournet de silestone polido, cadeiras com assento em palha

Como, por exemplo, os sofás em linho, na sala, atribuem simetria ao living. As almofadas são pontos de cor. Já as poltronas giratórias do lounge oferecem conforto e versatilidade com um toque de descontração. As peças clássicas da área social dão um charme especial: tanto o lustre, quanto o par de poltronas em seda pura são toques de personalidade que se integram perfeitamente aos demais móveis e objetos modernos. O quadro na parede do living, em um tom de azul lembra o mar e imediatamente hipnotiza o olhar, obra do artista plástico Solferini. Este todos os demais quadros que compõem a decoração são da Arteria Decor.

No hall, parede revestida com espelho

Sobre a mesa de jantar, o pendente em forma de círculo – praticamente com o mesmo diâmetro do móvel – é outro detalhe que se destaca. A cozinha, integrada ao gourmet compõe a área social com elegância. Toda em tom fendi, tem, no revestimento da churrasqueira e bancada, o emprego de mármore Travertino Romano bruto e Silestone polido, respectivamente, que valorizam o espaço.

O andar alto confere uma bela vista ao imóvel. Na área do bar, para que os moradores e seus convidados possam desfrutar do espaço e da paisagem de forma descontraída e agradável, o espaço foi equipado inclusive com adega e cervejeira, formando um ambiente ideal para um happy hour.

A camuflagem é uma das estratégias muito utilizadas pelo arquiteto Ricardo Grangera para conferir harmonia, organização, ampliar e dar discrição aos ambientes. “Gosto da camuflagem, tem coisa que não precisa aparecer, além de ampliar espaços, dar ideia de continuidade”, avalia. Neste projeto, ela é aplicada em vários ambientes. No living, um painel espelhado esconde a área íntima. Assim como no hall, que tem a porta do elevador camuflada por espelhos, que além da função de esconder a porta de entrada, serve como uma trava e oferece maior segurança ao imóvel.

Nas paredes, o revestimento em carvalho americano, de cima a baixo, resulta em muita versatilidade aos espaços, ao permitir diversas configurações, além de camuflar a porta do home e do escritório. O painel de madeira também isola o home do living, mantendo a ideia de continuidade no ambiente. Assim, a depender da movimentação do painel, o home pode ser usado integrado à área social ou isolado, até mesmo como um quarto, já que sua última folha pode ser aberta para dar acesso à circulação à área íntima.

Ricardo Grangera, arquiteto

“O apartamento é todo em tons neutros, bem iluminado, os espelhos ampliam o ambiente e a madeira oferece o aconchego. O quadro azul é um grande destaque, que dá o descanso ao olhar”, considera Grangera. “Eu gosto de arquitetura de interiores que não é datada, que é clean, com toques clássicos. Daqui há anos vai continuar atual. Isso de cor da moda, não gosto. Gosto do que perdura, da mistura clássico – contemporâneo – étnico, essa mistura dá personalidade”.

Além de todo o conforto visual e de mobiliário, o apartamento é todo automatizado: áudio, iluminação, climatização, tudo controlado com um toque, tanto por um tablet localizado no hall, quanto pelo celular dos moradores, de qualquer lugar da casa, ou mesmo por comando de voz. “A automatização foi pedido do proprietário, afeito por tecnologias”, aponta o arquiteto. O apartamento recebeu desde som ambiente, climatização, telão no living – que se recolhe ao teto – até persianas, tudo automatizado, controlados pela central multimídia.