SEM TRAVAS NA LÍNGUA E NO CORAÇÃO

_CBG2006s

Escritora londrinense lança primeiro livro que trata sobre o cotidiano e a subjetividade feminina

Por Mariana Paschoal
Foto: Fábio Pitrez

 

Subjetividade e imersão. Essas são as duas palavras que definem o trabalho da escritora e jornalista, Isabela Nicastro. Dizem que precisamos plantar uma árvore, fazer um filho e escrever um livro antes de morrer. A apucaranense, que hoje mora em Londrina, aos 26 anos, já realizou o último. O “Sem Travas na Língua” foi lançado no início de fevereiro pela editora Madre Pérola e conta com 60 crônicas dividas em três categorias: comportamento, relacionamento e cotidiano. O tema predominante dos textos é a subjetividade feminina.

O livro reúne as 60 crônicas que mais tiveram engajamento no blog Sem Travas no Coração que existe desde 2015. No blog, Isabela compartilha experiências da vida cotidiana de amigos, familiares e suas próprias vivências.

“O livro foi resultado de um luto. Estava vivendo um término de namoro complicado e precisava ocupar minha cabeça. Foi aí que decidi mergulhar e me dedicar a colocar a impressão do livro em prática”, explica Isabela. A escritora, então, inscreveu o projeto do livro no edital 002/2018 do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). Para a surpresa de Isabela, o projeto passou em primeiro lugar na categoria Criação e Produção e recebeu uma bolsa de R$ 10 mil para ser executado. “Como contrapartida, propus uma roda de conversa no Colégio Estadual Roseli Piotto Roehrig, na qual iremos ler uma crônica do livro e discutir o tema abordado em turmas que vivem em situação de vulnerabilidade social e com altas incidências de relacionamentos abusivos”, conta a jornalista.

Para a primeira edição, foram impressos 400 exemplares. Só no dia do lançamento, foram vendidos cem, e os pedidos não param de chegar. Segundo Isabela, a maior parte do público é composta por leitores do blog, que são principalmente do Rio de Janeiro e de São Paulo. “Sinceramente, não sei como atingi todo esse público. Não pensei uma estratégia. Fui escrevendo e com um ano de blog, já tinha 20 mil seguidores. Hoje tenho 45 mil. Acredito que isso tem muita relação com os temas que abordo, com quais as pessoas se identificam”, explica. Além das vendas e do trabalho com as rodas de conversa, Isabela também doou alguns exemplares para a Prefeitura de Londrina encaminhar às bibliotecas da cidade.

A escritora

Isabela se formou em jornalismo em 2013 e a escolha pelo curso foi influenciada pela paixão que tem, desde criança, pela escrita. “Escrevi desde sempre, tanto que não consigo definir precisamente quando comecei. A frequência aumentou na sétima série, quando visitei, com a escola, a redação de um jornal”, lembra a escritora, que se apaixonou imediatamente pelo processo de produção de textos. “Até então, já me aventurava nas cartas. Eu sempre presenteava as pessoas com elas”, continua.

Além do livro, o blog gerou outros frutos na área da escrita: por escrever tão bem sobre amor e relacionamentos, Isabela, a pedido de uma de suas leitoras, também começou a produzir textos para celebrações de casamentos há pouco mais de um ano, e hoje tem a própria empresa chamada Sem Travas no Coração. “Agora tenho dois públicos: as pessoas que leem minhas crônicas e que querem casar e o público mais jovem, que ainda não pensa em matrimônio, mas que se identifica com as minhas vivências e temas”, esclarece.

Para atingir esse público com a escrita, Isabela buscou algumas inspirações para desenvolver seu próprio estilo. Na literatura, foi Eliane Brum. Na vida, foi a própria mãe, que mesmo sem o hábito da leitura, tinha o costume de levar as duas filhas, ainda crianças, regularmente à biblioteca. Talvez seja por isso que a escritora tenha um apego especial aos livros. Para ela, ter um livro na mão significa atingir e contagiar as pessoas, e isso é uma das coisas que a faz sentir que ter publicado um livro de sua autoria seja tão especial. “Um livro você dá de presente, troca, favorece interações humanas… Na internet, muitas vezes, você lê sozinha, fecha a aba e acabou. Tem muita gente, inclusive, que compra o meu livro e não aceita sem uma dedicatória, então tem essa aproximação com o autor que tem tudo a ver com os temas que abordo”, elucida.

Isabela não pretende parar no primeiro livro. Ela tem intenções de escrever um romance, ou até mesmo fazer uma segunda edição do Sem Travas na Língua, com crônicas do blog que não entraram na primeira. Aos leitores londrinenses, resta a antecipação.

Para comprar o livro:
Sem Travas na Língua
Editora Madre Pérola
Ilustrações: Maíra Cardoso