TAPETES PERSAS: ATEMPORALIDADE ASSEGURADA DE NÓ EM NÓ

018_00_FonteNewshaTavakolianForTheNewYorkTimes

Tendo o toque como essência, esse artigo milenar desempenha na cultura oriental funções que vão além de complementos decorativos, elevando-se a elementos fundamentais de atividades cotidianas como sentar-se para comer, conversar ou simplesmente relaxar.

 

Por Edson Faria

Foto abertura | Produção de tapetes artesanais em Shiraz, Irã | Foto: Newsha Tavakolian

 

Atemporais e com status de obra de arte, os tapetes orientais carregam em suas tramas a energia e o cuidado de mãos habilidosas que dançam pelo tear o ritmo milenar ensinado por seus ancestrais. Confeccionados em sua maioria com lã e algodão, essas peças surgiram há mais de 2500 anos com o intuito de aquecer as tendas nômades da antiga Pérsia, ganharam espaço nas paredes dos nobres europeus no século XIII e chegaram na atualidade como clássicos da decoração.

A autêntica tapeçaria persa, confeccionada artesanalmente por tribos e famílias iranianas, pode ser reconhecida pela qualidade de sua lã e por sua técnica de tecelagem, ambas refletidas de maneira primorosa no verso de suas peças, onde a quantidade, o tamanho, a regularidade e o espaçamento dos nós podem ser facilmente verificados. Essa observação, a princípio técnica, revelará ao comprador a qualidade do produto que se pretende adquirir, uma vez que um item de boa qualidade, que apresente pelo menos 40 nós por centímetro quadrado, revela uma grande fidelidade entre suas faces e impressiona pela beleza e definição dos desenhos ainda que apreciados pelo avesso. Além disso, ao contrário de outros países que fazem uso da pelagem do dorso do animal, os iranianos utilizam apenas a lã mais macia e clara do peito das ovelhas, o que proporciona um toque mais delicado ao seu artigo.

Fidelidade entre faces desse Tabriz Nakche | Fonte: Kian Tapetes

A efeito de curiosidade, é interessante expor que um tapete com 40 nós por centímetro quadrado, leva em torno de dois meses para que os 400.000 nós necessários para obtenção de apenas um metro quadrado de tapete sejam dados.  Isso significa que uma peça de 210x310cm leva em média 10 meses para ser produzida por um artesão habilidoso que trabalhe por oito horas diárias em sua confecção.  Todo esse trabalho árduo, minucioso e manual eleva os tapetes orientais a verdadeiras obras de arte que carregam para dentro das composições, além de elegância e refinamento, a alma de um povo que se manteve fiel às suas tradições.

Fonte: Luis Velasco Roldan | Foto: Jaime Sicilia

Dentre seus benefícios, sabe-se que os tapetes proporcionam conforto térmico e acústico, ajudam a delimitar espaços, além de serem ótimos canais de expressão pessoal e cultural dentro da personalização dos ambientes. No entanto, tais funções os colocam como itens complementares da decoração e do cotidiano ocidental, restringindo seu uso apenas a aspectos técnicos e estéticos e, em consequência, afastando-os de sua essência primária: o toque. Na cultura oriental, os tapetes possuem usos mais diversificados e amplos, pois é sobre essas icônicas peças que afegãos, turcos e indianos sentam-se para comer, conversar ou simplesmente relaxar. Nessa culturas, o tapete é sinônimo de liberdade de movimento, versatilidade e conforto.

No entanto, enganam-se aqueles que acreditam que a tapeçaria oriental se enquadra apenas em ambientações clássicas ou rústicas, visto que a decoração contemporânea é eclética e como tal não apenas possibilita, como também incentiva, o uso de elementos de universos distintos, viabilizando a elaboração de composição mais complexas e ricas em termos de materiais, texturas, tempos e estilos. Dessa forma, esse ecletismo libertador propicia a união entre passado e presente em ambientes únicos e cheios de personalidade.

Fonte: Morris Adjmi Architects | Foto: Matthew Williams

O cuidado que deve ser tomado no uso de um item persa está no modelo em relação à função que ele irá desempenhar dentro da decoração, visto que a peça pode ser abordada como base neutra ou como ponto focal de toda a composição. O mais interessante talvez seja não ter medo e fazer uso de toda beleza vintage e força cultural que esses artigos carregam por meio de suas estampas e cores expressivas. Tratam-se de joias versáteis que podem harmonizar com os mais variados ambientes e estilos, sejam eles minimalistas, modernos ou clássicos. Além do mais, um autêntico tapete persa nunca perde seu valor de mercado, se tornando ainda mais valioso com o passar do tempo.

Assim sendo, investir em um autêntico tapete persa e elevá-lo a ponto focal de toda a composição é uma alternativa aqueles que querem se destacar indo na contramão da maioria das decorações. Certamente a beleza e a complexidade de seus florais e arabescos provocarão suspiros de admiração e encantamento a quem o admirar. Entretanto, não se esqueça, rompa esse bloqueio social e deite-se sobre ele, sinta sua textura e tome proveito de todos os benefícios que um autêntico persa pode proporcionar.

Fonte: Borges Maciel Arquitetura | Foto: Elton Rocha