RELEITURA BRASILEIRA

imagem_3

Arquiteto Edson Faria assina projeto de reforma de apartamento que mescla nossas raízes à essência escandinava, resultando em luminosidade, arte brasileira e muito verde

Por Layse Barnabé de Moraes
Fotos Fábio Pitrez

 

Quando o arquiteto Edson Faria recebeu a ligação da cliente desse apartamento, ela não queria uma grande reforma. “Eram só pequenas modificações para dar um ar novo, já que ela está no imóvel desde que ele foi lançado, há 12 anos, então queria mudar algumas coisas”, conta ele.
A primeira coisa que a cliente deixou claro é que prezava pela luminosidade. “Na hora eu já pensei que a iluminação pontual e cênica não ia funcionar para ela”. Além disso, a cliente também não gostava de nada muito cheio, então o arquiteto optou por poucos elementos. Por isso, a composição não tem nenhuma estante e tudo segue uma altura padrão, como o móvel da TV, a mesa e o aparador. Já a parede é preenchida com elementos leves para complementar. Para criar dentro do universo que a cliente queria, Edson optou pelo uso de cores claras: “Nada contra o off white, mas eu gosto muito do branco. Acho contemporâneo e ele contrasta muito com as peças que escolhemos”. Foi aí que ele percebeu que dava para direcionar o projeto para o estilo escandinavo, tendência nos últimos tempos. “O escandinavo preza pela luminosidade, coerente com o que a cliente queria, já que lá na Escandinávia existem períodos de pouca luz, e composições simples e funcionais, mas com design marcante. Então esse era o caminho. Mas eu não podia trazer esse estilo escandinavo sem adaptá-lo, visto que é um estilo do Norte da Europa e eu não queria criar um cenário. Então tive que adaptar”.

Destaque para a presença do verde, das esculturas de cerâmicas nordestinas e dos quadros, da Arteria

Dessa forma, Edson mesclou a essência escandinava à brasilidade tão típica do nosso país. Assim, são poucos elementos de linhas retas, mas as peças de design, como a poltrona, as mesas laterais e a mesa de jantar saltam à composição, enquanto outros elementos, como os de marcenaria, são todos brancos, como a parede. “É como se fosse um palco, onde alguns elementos são os personagens principais e contam a história”, destaca ele.

Design brasileiro como protagonista da composição

Lá na Escandinávia, por ser frio, materiais naturais são usados para aquecer os ambientes e o projeto brinca com isso – há uma riqueza de materiais, de tons de madeira, de pedra, de cerâmica e de pele na composição, fazendo um mix que além de trazer beleza também traz aconchego. Já a brasilidade usada por Edson é guiada por três elementos fundamentais:

o verde, o artesanato e os quadros. “Quando falamos em Brasil, falamos de energia, falamos de fauna e flora… era preciso trazer natureza e frescor para dentro do apartamento. Então eu trouxe o verde, o artesanato, com esculturas de cerâmicas nordestinas pelas quais sou apaixonado, e os quadros, da Arteria, que sempre foi minha fornecedora por conseguir atender a todos os perfis de cliente, tanto em valor de investimento quanto em estilo de arte. A princípio, minha cliente tinha medo da quantidade de quadros porque queria algo mais limpo. Mas eu a levei à Arteria porque sabia que lá eu ia conseguir ampliar o horizonte dela em relação a isso. Eu usei duas gravuras do Paulo Calazans, que são figuras geométricas; também usei dois quadros do Paulo Branco, que também são geométricos, mas preto e branco, complementando sem pesar – os dois artistas são brasileiros. Temos também a fotografia, que é o grande destaque da sala de estar, também da Arteria. A Arteria também transforma souvenirs em quadros, como aconteceu com o colar polinésio, que emoldurado aumenta o impacto daquilo que já tem um valor emocional muito grande. Além de trazer a brasilidade, eu tenho que respeitar o DNA da minha cliente, afinal de contas ser brasileiro também é esse mix todo”. A brasilidade também guiou a escolha do mobiliário, assinado por designers brasileiros e feitos por empresas brasileiras.

A riqueza de materiais e de tons de madeira fazem um mix que traz beleza e aconchego aos ambientes

Guiado pelas particularidades afetivas da cliente, a reforma, que a princípio seria pequena, acabou com fôlego extra, transformando o apartamento, que ganhou estilo escandinavo adaptado à realidade, brasilidade pulsante e expressiva, e muito verde, que adquiriu mais e mais força com o desenvolver do projeto, tornando-se um dos protagonistas. “Não vou dizer que criei um urban jungle, mas um urban garden eu fiz, no final das contas. A princípio a cliente ficou receosa, porque não tinha o costume de ter os cuidados com plantas na rotina, mas hoje em dia ela adora”, complementa o arquiteto.
Edson conta que o seu processo criativo para conseguir tirar o melhor de cada projeto tem muito da ligação que ele constrói com cada cliente. “Isso possibilita criar um vínculo de confiança e de diálogo. A cliente desse apartamento se mostrou sempre aberta e confiou em mim. Apesar de ela ter dito que não gostava de pontos de luz, colocamos abajur e arandelas. E olha como é interessante quando o cliente se abre e a gente trabalha em conjunto… Hoje ela passou a apreciar desligar todas as luzes e ligar só as luzes indiretas, criando um clima mais intimista. Fiquei super satisfeito porque atendi ao que ela queria, mas consegui ultrapassar e acrescentar uma nova visão. Fizemos a sala e os banheiros e no ano que vem partiremos para os quartos e a cozinha”, explica ele, e completa: “A casa da gente é o nosso refúgio. É onde a gente se reorganiza e se reenergiza dos desgastes que sofremos no dia a dia. A minha cliente é muito caseira e fiquei muito satisfeito porque ela gostou muito do resultado. Ou seja, eu consegui recriar e dar uma cara nova à casa, que ela já tinha como porto seguro, sem que ela perdesse o vínculo com o espaço.”

“O segredo da decoração de um lavabo é associar o básico a elementos inusitados ou apresentar básico de uma forma diferente”, destaca Edson Faria

Detalhes

O arquiteto Edson Faria